Este espaço é para si! Envie-nos a sua notícia: mscmail.fotorali@gmail.com

domingo, 12 de abril de 2015

RALLICROSS DE LOUSADA: BOM TEMPO… E BONS TEMPOS

Foto: cpl3.com
Dificilmente se poderia exigir mais da abertura do Campeonato Nacional de Ralicross / Kartcross, com uma lista de inscrito como já se via há muito tempo.

Uma tarde soalheira e competição q.b. juntaram-se ao belo espectáculo, que o Clube Automóvel de Lousada montou na Pista da Costilha, abrindo o campeonato com chave de ouro. Treinos e a primeira corrida de qualificação integraram o programa da tarde.

Superbuggy
Luís Santos (Toniauto TNTT) venceu a primeira corrida, que juntou os Superbuggys frente a frente.
Ludgero Santos (Toniauto TNTT) arrancou na frente, graças a ter surpreendido Luís Santos, o detentor da melhor marca dos treinos cronometrados, logo na partida.
Miguel Ferreira (Luna Sort) e Alberto Costa (Atmos Storm) tocam-se na saída do gancho e acabam com os carros “engatados” roda com roda em plena recta da meta.
Entretanto Luís Santos seguia para a vitória, depois de recuperar a posição perdida no arranque, graças a uma boa gestão da Jocker Lap, a volta em que cada piloto tem que seguir por um traçado mais lento.
Segunda corrida, ou serie B, da primeira manga foi dominada por António Santos (Toniauto TNTT). Arrancou na frente e por lá ficou, deixando a concorrência para segundo plano.
Lá mais para trás tudo muito animado e o segundo lugar foi “arrancado a ferros” por Nelson Barata (Atmos Shark), que teve em Jorge Fonseca (Atmos Storm) um osso duro de roer.

Kartcross
Pedro Rosário (Semog Bravo) dominou a primeira manga dos Kartcross. Arrancou na frente, depois de dominar os  treinos cronometrados e deixou a concorrência a falar sozinha.
Nos toques naturais de quem tenta ser um pouco melhor na curva um, Luís Almeida (Smog 600) perdeu o segundo posto e deixou caminho aberto para José Pereira (AG 600) ser segundo.
Nuno Bastos (ASX Evo 2011) arrancou muito bem e ficou na frente da Serie B. José Mota (Semog Bravo) e o espanhol Juan Veja (Speed Car) discutem taco a taco cada curva e no calor da luta, uma travagem um pouco mais forte e uma saída um pouco mais larga ditam o atraso de Veja, que fica definitivamente em terceiro.

Iniciação
Francisco Silva (Citroen AX GTI) arrancou na frente. José Eduardo Rodrigues (Toyota Starlet), que detinha a melhor marca dos treinos teve que suar para manter o segundo posto. Conseguiu fazê-lo até que na gestão das Joker Laps ficou na frente do até aí comandante, Francisco Silva.
A corrida foi emotiva q.b. mas sobretudo com muita correcção por parte dos jovens pilotos, com idades compreendidas entre os 13 e os 18 anos, e entre travagens discutidas e gestão de Joker Laps, Francisco Silva voltou para a cabeça da corrida e aí ficou até ao baixar da bandeira xadrês e assim comemorou a primeira vitória, justamente na primeira corrida que disputou na carreira que aqui se inicia.
Leandro Macedo (WV Polo) andou nesta luta e foi um espectador atento, mas terminou em terceiro.
Como balanço final: uma das melhores corridas da tarde, com um enorme exemplo de desportivismo, por parte de pilotos que, alguns, nem sequer podem conduzir um “papa reformas” na via pública.

Super Nacional
Vitória aparentemente fácil de Sérgio Nunes (Peugeot 306) na Serie A… Mas apenas “aparentemente”. José Sousa (Peugeot 306) estava apostado em andar na frente, mas pouco depois teve que começar a defender-se dos ataques de Ademar Pereira (Renault Clio). Isso deu alguma folga ao primeiro classificado.
João Oliveira (Peugeot 206) partiu na frente, para a corrida da serie B, mas foi sol de pouca dura. Mais à frente, Paulo Sousa (BMW E30) metia a frente na travagem para a curva 2 e com bastante optimismo passava para a frente.   
Paulo Martins (Opel Astra) dava luta. João Oliveira aproxima-se e termina colado, mas em terceiro.  

Super 1600
Uma das melhores corridas da tarde, deu a vitória a Bruno Gonçalves (Citroen Saxo Kit Car). Todas as posições muito disputadas e Helder Ribeiro (Citroen C2) acabou por ficar com a segunda posição,  com um belo “diálogo” principalmente no início, com Mário Lameida, que terminou em terceiro.

Super Cars
A primeira corrida da divisão rainha do Ralicross foi vencida por Mário Barbosa, que estreou da melhor forma o Citroen DS3, um dos carros que criou mais “inquietação” na pré-época.
Joaquim Santos (Ford Focus) pressionou e acabou a escassos três segundos. Fora desta luta, mas solidamente no terceiro posto, acabou o francês Dany Moreau (Renault Clio).

Amanhã disputam-se as restantes corridas de qualificação e as finais, com os motores a roncarem a partir das 09.30 horas, com a realização do warm up. 

Sem comentários:

Enviar um comentário