Este espaço é para si! Envie-nos a sua notícia: mscmail.fotorali@gmail.com

sábado, 31 de outubro de 2015

PAULO AZEVEDO E ALEXANDRE CAMACHO VENCERAM O BEM SUCEDIDO RALLYSPIRIT

Cerca de meia centena de participantes, carros emblemáticos de várias gerações, muito espetáculo na estrada e uma multidão entusiasta que nem sequer foi traída pelo São Pedro… O RallySpirit foi um enorme sucesso! Estão lançadas as bases para que esta seja a grande festa anual dos ralis e, nos próximos anos, também com pilotos referência do automobilismo mundial. Para a história da primeira edição fica, ainda, a vitória à geral do Porsche 997 GT3 de Alexandre Camacho e o triunfo do Ford Escort MK1, de Paulo Azevedo, entre os Históricos. 

Em pleno século XXI, juntar na mesma prova automóveis tão díspares como um Porsche 997 GT3 e uma Renault 4L, um Mitsubishi Lancer EVO IX e um Toyota Starlet, bem como carros tão emblemáticos como os Alpine Renault, Audi Quattro, Datsun 160J, Fiat 131 Abarth, Ford Escort, Lancia Delta Integrale, Renault 5 Turbo, Subaru Impreza, entre muitos outros, diz tudo sobre o sucesso do RallySpirit. Uma aliança entre presente e passado que logo na edição de estreia deixa uma marca inolvidável no automobilismo nacional. 
O dia de sexta-feira foi o prenúncio do sucesso do RallySpirit… Apesar de se tratar de uma “simples” partida simbólica, é provável que São Romão do Coronado tenha recebido a maior multidão da história da vila. Hoje (sábado), contrariando todas as previsões, a chuva não se fez sentir, pelo que o público correspondeu em elevado número, entusiasmado por contactar com os seus ídolos num ambiente de salutar descontração, mas também de ver em ação alguns dos mais extraordinários automóveis da história dos ralis.
Na estrada, Alexandre Camacho impôs a potência do sempre espetacular Porsche 997 GT3, sendo o mais rápido nas três passagens pelas duas classificativas que compuseram o RallySpirit: São Romão do Coronado e Serra. “Adorei regressar ao Continente e, quando se vence, claro que a satisfação ainda é maior. Andei rápido, mas como a confiança nas notas não era total, acima de tudo procurei dar espetáculo para o muito público.” No final, a vantagem para o 2º classificado foi de 25,1 segundos, naquele que foi um interessante e curioso duelo madeirense. Na realidade, foi Bernardo Sousa quem mais perto esteve de contrariar o domínio do campeão em título da Madeira. Aos comandos de um Mitsubishi Lancer EVO IX que descobriu apenas quando foi para a estrada, o jovem piloto levou de vencida a luta entre os Mitsubishi e, em particular, com o também regressado Pedro Leal, que foi o 3º classificado.
Já na categoria “Históricos”, foi Paulo Azevedo quem subiu ao lugar mais alto do pódio, com o piloto do Ford Escort MK1 a vencer oito das nove classificativas. “Estava parado há muito tempo, mas como praticamente corri em casa (é natural da Trofa), as coisas correram bastante bem. Também gostei muito do rali, pelo que o seu futuro está garantido.” Depois do triunfo na especial inaugural, Filipe Barbosa foi obrigado a desistir, o que permitiu a Pedro Couceiro ascender ao 2º lugar da categoria. Imediatamente a seguir ao piloto do Opel 1904 SR terminaram Américo Antunes (Renault 5 Turbo Cevennes), Rui Ribeiro (Ford Escort MK1 1.6) e José Grosso (Ford Escort MK1).
Uma referência, ainda, para a curiosa participação do presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting. Aos comandos do Ford Sierra Cosworth ex-António Coutinho e acompanhado pelo Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, Manuel Mello Breyner foi obrigado a desistir na sequência de problemas mecânicos. “O RallySpirit está de parabéns. É uma prova que ainda não existia em Portugal, mas que até pela sua filosofia, tem de continuar a fazer parte do calendário nacional”, sublinhou.
Para o mentor e promotor do RallySpirit, Pedro Ortigão, “o balanço não podia ser mais positivo. Está lançada a prova para o futuro e o objetivo é reunir ainda mais pilotos nacionais e internacionais e carros emblemáticos. Mas também não posso deixar de agradecer a todos aqueles que apoiaram esta primeira edição, desde pilotos, parceiros, patrocinadores, junta de freguesia do Coronado e Clube Automóvel de Santo Tirso”, afirmou o responsável da Xikane.

Sem comentários:

Enviar um comentário