Este espaço é para si! Envie-nos a sua notícia: mscmail.fotorali@gmail.com

sábado, 20 de setembro de 2014

RESCALDO DO RALI DE MORTÁGUA

JOÃO BARROS VENCE PELA 1ª VEZ NO "NACIONAL"

Foi uma vitória "de raiva", aquela conquistada por João Barros no Rali de Mortágua. O piloto da Fibromade teve de se aplicar a fundo para bater José Pedro Fontes, conseguindo o seu primeiro triunfo da carreira no Nacional de Ralis por 2,6 segundos.

A prova organizada pelo Clube Automóvel do Centro teve início com a já tradicional Super Especial e desde logo o piloto do Ford Fiesta R5 mostrou ao que vinha ao cotar-se como o mais rápido embora com uma vantagem demasiado curta para poder descansar.
José Pedro Fontes, navegado por Inês Ponte a bordo do sempre aplaudido Porsche 997 GT3, iniciava o rali no segundo posto mas com a disputa dos primeiros troços da segunda etapa, rapidamente a dupla da Vodafone se instalou no comando, relegando Barros para o segundo posto. Contudo, a derradeira secção da prova seria de azar para Fontes, já que o Porsche acabou por sofrer alguns problemas de travões que diluíram uma quase certa vitória a uns "insignificantes" 2,1 segundos à entrada do ultimo troço.
Foi então que João Barros, navegado como habitualmente por Jorge Henriques, colocou toda a sua garra ao volante conseguindo suplantar Fontes, obtendo dessa forma a sua primeira vitória no "Nacional".
A ultima posição do pódio ficou na posse de Adruzilo Lopes e Vasco Ferreira. Autora de uma prova irrepreensível, a dupla do Subaru Impreza soube mais uma vez cotar-se como a mais rápida entre os carros de Grupo N e a juntar ao 3º lugar da geral, Lopes e Ferreira saem de Mortágua com o título na Classe RC2N.
Paulo Neto e Vitor Hugo colocaram o seu Citroen DS3 R3T na 5ª posição final, fazendo uma exibição notável que os colocou em luta com Ricardo Teodósio pelo 4º lugar durante todo o rali e, embora batidos pelo piloto algarvio (com este a revelar grandes dificuldades físicas devido a uma forte dor muscular), o resultado conseguido deu à equipa uma categórica vitória entre os carros de 2 rodas motrizes.
Também com razões para festejar ficou Ricardo Marques. O piloto de Vieira do Minho, navegado por Paulo Marques sagrou-se campeão na Categoria RC4. A dupla do Peugeot 208 R2 viu a sua vida facilitada quando o seu mais directo adversário, Gil Antunes, foi forçado a abandonar com o motor do seu Peugeot partido.
O Nacional de Ralis chega assim à sua recta final, faltando apenas disputar a ultima ronda em Castelo Branco, uma novidade no calendário do campeonato agendada para os dias 17 e 18 de Outubro.

Classificação final:
1. João Barros / Jorge Henriques - Ford Fiesta R5 1:03:30,1
2. José Pedro Fontes / Inês Ponte - Porsche 997 GT3 Cup +02,6
3. Adruzilo Lopes / Vasco Ferreira - Subaru Impreza STI R4 +01:30,4
4. Ricardo Teodósio / José Teixeira - Mitsubishi Lancer Evo IX +04:21,8
5. Paulo Neto / Vitor Hugo - Citroën DS3 R3T +04:45,7
6. Ricardo Marques / Paulo Marques - Peugeot 208 R2 +06:27,8
7. Manuel Castro / Mário Castro - Mitsubishi Lancer Evo IX +06:55,9
8. Armindo Neves / Bernardo Gusmão - Peugeot 207 R3T +08:51,0
9. Joaquim Alves / Pedro Alves - Renault Clio R3C +09:33,3
10. Alfredo Barros / Alberto Silva - Ford Fiesta R5 +10:45,1

CARLOS FERNANDES IMPÕE-SE NO CAMPEONATO CENTRO
A prova reservada aos concorrentes do Campeonato Centro acabou por ser, à semelhança do "Nacional", bastante emotiva quanto a definição do vencedor.
Carlos Fernandes e Valter Cardoso começaram por ser a dupla mais rápida na Super Especial, seguidos de perto por Eduardo Veiga e Justino Reis. Veiga viria a abandonar no inicio da segunda etapa, mas Carlos Fernandes via Fernando Teotónio a aproximar-se perigosamente da liderança, conseguindo mesmo chegar ao primeiro lugar no penúltimo troço numa altura em que o Mitsubishi de Fernandes vinha já a denotar alguma falta de rendimento. Porém, Carlos Fernandes vinha decidido a vencer o rali e na última classificativa forçou o andamento o suficiente para recuperar a posição a Teotónio, sagrando-se dessa forma vencedor do rali.
Fernando Teotónio, navegado por Ricardo Domingos terminou na segunda posição final, seguido do melhor nas duas rodas motrizes, o Citroen C2 de Miguel Carvalho e Paulo Lopes a fechar as contas do pódio.
Destaque ainda para a prestação de André Cabeças e Bino Santos, cujo 4º lugar final não é reflexo do excelente rali que fizeram. Apesar de ter vencido 2 classificativas, a dupla viu a falta de fiabilidade do seu Mitsubishi como o principal inimigo, com uma transmissão partida e problemas de caixa de velocidades a não permitirem melhor que a 4ª posição final.

Classificação final:
1º Carlos Fernandes / Valter Cardoso - Mitsubishi Lancer Evo VI - 32m32,0s
2º Fernando Teotónio / Ricardo Domingos - Mitsubishi Lancer Evo VI - a 5,4s
3º Miguel Carvalho / Paulo Lopes - Citroen C2 R2 Max - a 33,4s
4º André Cabeças / Bino Santos - Mitsubishi Lancer Evo V - a 1m16,9s
5º Paulo Correia / Paulo Amorim - Mitsubishi Lancer Evo VI - a 1m27,1s

Sem comentários:

Enviar um comentário