Este espaço é para si! Envie-nos a sua notícia: mscmail.fotorali@gmail.com

quarta-feira, 19 de março de 2014

CAIXA "ROUBA" BOM RESULTADO A MARCO FERREIRA

Marco Ferreira e Edgar Gonçalves dominaram as duas rodas motrizes na fase inicial do Rali de Vila do Bispo, mas a dupla do Citroen Saxo não teria a sorte pelo seu lado, ao ver a caixa de velocidades ceder quando lideravam a categoria de duas rodas motrizes.

Depois de terem fechado a temporada passada com o vice-título regional das duas rodas motrizes, Marco Ferreira e Edgar Gonçalves procuravam começar o ano da melhor forma, apesar da preparação da temporada não ter decorrido como a dupla desejava, uma vez que a escalada dos custos associados às provas os fez confirmar a presença neste rali já muito tarde, não dando assim possibilidade de fazer os melhoramentos pretendidos no Saxo.
“Fizemos um esforço enorme para ter o carro em condições de ir à primeira prova do campeonato. Conseguimos ter o carro pronto, mas não como pretendíamos, uma vez que não o conseguimos evoluir ao nível da caixa de velocidades. Apesar de já termos algum material, os timings eram muito apertados, mas ainda assim marcámos presença nesta primeira prova, com vontade de pontuar bem”, começou por dizer Marco Ferreira.
O piloto de Santiago do Cacém voltou a começar muito bem a prova de Vila do Bispo, vencendo as duas primeiras especiais nas duas rodas motrizes, até que um infortúnio mecânico o fez desistir. “Na última prova do ano passado, em Ourique, além dos problemas elétricos que nos fizeram perder muito tempo, provocámos alguns danos na caixa de velocidades, que só foi possível perceber em concreto depois de a retirar do carro, pelo que considero que terminámos aquela prova de forma milagrosa. Aqui já não houve milagres, ficámos logo no arranque do terceiro troço, depois de termos começado muito bem o rali. 
Na Super Especial noturna, onde sabemos que nada se ganha, mas tudo se pode perder, fizemos uma passagem fluida e sem excessos e conseguimos o quarto tempo da geral e o melhor dos duas rodas motrizes. Não tomámos essa posição como algo fácil de manter, pois os quatro rodas motrizes não dariam hipóteses neste tipo de troços, e a concorrência das duas rodas motrizes, com máquinas mais potentes e eficazes também não, mas deu-nos uma motivação extra para arrancarmos bem no segundo dia”
Depois de mais uma vitória em especiais entre os duas rodas motrizes, a dupla que conta com os apoios da Tudóptica, JBJF, TransmissãoSado, Hora D’Impacto, Jorge Amortecedores e Eni acabaria por abandonar, com a quebra da caixa de velocidades.
“Arrancámos com cautelas para a primeira PEC de domingo, procurando poupar a caixa ao máximo, e tentando ganhar algum ritmo, pois não conseguímos treinar neste defeso, mas ainda assim fizemos um bom troço, onde fomos oitavos da geral e ampliámos a liderança nas duas rodas motrizes. No arranque do terceiro troço do rali, a caixa cedeu e fomos obrigados a abandonar, voltando a sentir este amargo sabor quando liderávamos mais uma prova”.

Sem comentários:

Enviar um comentário