Este espaço é para si! Envie-nos a sua notícia: mscmail.fotorali@gmail.com

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

MOTOR ANTECIPA DESPEDIDA DE RAFAEL LOBATO

Não correu como desejado a derradeira participação de Rafael Lobato numa prova da edição 2013 do Campeonato de Portugal de Offroad.

Chegado a Montalegre depois de uma pausa de quase 2 meses, o piloto de Vila Real tinha grandes expectativas para esta jornada e apostava numa subida ao pódio e no fim dos azares mecânicos que o acompanharam este ano.
Conforme Rafael explica “Estava realmente empenhado numa boa prestação em Montalegre e queria despedir-me de todo o público com uma excelente prova. Apesar de alguma apreensão por nunca ter rodado com o carro nesta pista, iniciei os treinos cronometrados com cautela para verificar se o carro estava competitivo e fazer a minha adaptação à sua condução neste traçado. Fui melhorando os tempos e na última volta ataquei e consegui melhorar 1 segundo, o que me garantia o 3º melhor tempo da grelha da Divisão Super 2000.”
Pouco depois teria lugar a 2ª sessão de treinos cronometrados, onde “depois de algumas afinações no carro, consegui melhorar em alguns pontos do circuito e retirei mais 2 décimos de segundo ao meu tempo anterior, ficando com o 4º lugar da grelha para a Corrida 1. Estava a adaptar-me rapidamente ao carro e sabia perfeitamente que ainda havia alguma margem de progressão”, referiu o piloto.
O programa do dia de sábado terminava com a Corrida 1 e Rafael Lobato partia do 2º lugar da grelha da sua Série. “Estava muito confiante para esta corrida pois sabia que o meu carro estava muito competitivo e eu podia encurtar a pequena distância que me separava dos meus adversários”, disse Rafael. “Logo no arranque perdi algum tempo e decidi fazer a Joker-Lap para me livrar do tráfego em pista e poder fazer voltas limpas, para tentar alcançar a liderança quando os meus adversários realizassem as deles. Estava muito confiante que podia discutir a liderança da prova, mas logo na 1ª volta notei alguma dificuldade do motor em alta rotação. Na volta seguinte o problema manteve-se e, de repente, o motor partiu à saída da 1ª curva do circuito. Não havia nada a fazer e abandonei logo aí a corrida.”

Mais uma vez o azar batia à porta do Campeão de Portugal da época passada e depois de o carro regressar à box e a equipa analisar a avaria, concluiu-se que o motor não tinha reparação possível, o que significava o abandono da prova.
O dia de Domingo foi passado com o piloto na bancada a ver a corrida dos seus adversários e demais provas do programa: “Fiquei bastante triste com o que sucedeu, pois tenho a certeza que ia estar na luta por um dos lugares do pódio, depois de ver o andamento que consegui imprimir no pouco tempo que estive em pista. Infelizmente o carro não colaborou e não terminei a época como gostava. Por outro lado estou extremamente satisfeito com aquilo que alcancei aqui em Montalegre, pois consegui demonstrar a quem já tivesse dúvidas que continuo muito rápido e não esqueci como se conduz um carro de competição. Tenho 15 anos e quase metade da minha vida foi passada nas pistas. O Tigre continua vivo e a mostrar as suas garras!”.
Depois de um ano de 2013 bastante atribulado devido à impossibilidade de reunir apoios para completar o restante calendário de ralicross e com vários azares a impedirem Rafael Lobato de alcançar as classificações esperadas, o piloto já tem em curso a preparação da próxima época, na qual espera poder voltar a dar as maiores alegrias a todos os seus apoiantes e patrocinadores.

Sem comentários:

Enviar um comentário