Este espaço é para si! Envie-nos a sua notícia: mscmail.fotorali@gmail.com

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

ANTÓNIO DIAS CUMPRIU DUPLA ESTREIA

Na sua estreia competitiva ao volante do Skoda Fabia R5 e no Campeonato de Portugal de Ralis, António Dias cumpriu o que tinha prometido para o emblemático Rali Serras de Fafe, apresentando uma notória evolução até a suspensão do carro checo ceder durante a PEC6. Experiência recolhida pelo piloto de Gondomar, navegado por Daniel Pereira, será importante para preparar o futuro.

Ao volante de um carro que apenas chegou a Portugal (vindo da Irlanda) na última segunda-feira, a poucos dias do Rali Serras de Fafe, António Dias sabia que a sua tarefa na ronda inaugural do Campeonato de Portugal de Ralis passava por acumular o maior número possível de quilómetros ao volante do Fabia R5, um veículo bem mais competitivo do que aqueles que o piloto gondomarense utilizou no passado e que, além disso, marcava a sua estreia no principal escalão dos ralis em Portugal.
António Dias e o navegador Daniel Pereira estavam a cumprir o plano na íntegra, adaptando-se de forma progressiva e chegando a obter o 7º melhor tempo na segunda passagem pela Super Especial de Fafe, terminando esse dia no 17º posto da geral absoluta. Na manhã de domingo, na sexta especial do rali - Montim 1 -, um braço de suspensão cedeu e obrigou a equipa a abandonar numa altura em que ocupava um lugar no top 15 do concorrido grupo RC2.
“Foi tudo novo para nós mas posso dizer que estes quilómetros em competição foram importantíssimos, já que tínhamos rodado muito pouco com o carro antes do rali”, afirmou António Dias, que em 2016 venceu o troféu CIN e foi vice-campeão Regional Norte de Ralis. “No sábado, fomos descobrindo cada vez mais o carro que tem de facto um potencial incrível, principalmente ao nível da aceleração e travagem. No domingo de manhã, em Montim, apanhámos uma pedra que danificou a suspensão e provocou um furo numa zona com o piso degradado. Quando parámos para trocar a roda percebemos que se tinha partido um braço de suspensão e que não era possível continuar. A nossa ordem de partida também acabou por provocar este desfecho porque éramos o 22º carro a partir para a estrada e naturalmente apanhámos os troços muito degradados, inclusive nas primeiras passagens. Mas acima de tudo acumulámos uma experiência que nos será muito útil para preparar as próximas provas, a começar já no Rali dos Açores, que será outra novidade absoluta para nós e para o qual faremos alguns testes de preparação nas próximas semanas”, referiu António Dias.
O Azores Airlines Rallye, um dos ralis de terra mais famosos da Europa e pontuável também para o Campeonato Europeu FIA de Ralis (ERC), será disputado entre os dias 22 e 24 de março.

Sem comentários:

Enviar um comentário