Este espaço é para si! Envie-nos a sua notícia: mscmail.fotorali@gmail.com

segunda-feira, 28 de março de 2011

Sebastien Ogier vence Rali de Portugal

Sebastien Ogier é o vencedor, pelo segundo ano consecutivo, do Rally de Portugal. O piloto da Citroen Total WRT, ao volante do seu Citroen DS3 WRC bateu toda a concorrência incluindo o seu colega de equipa, e segundo classificado, Loeb.
Ogier venceu o Rally de Portugal, e garantiu ainda o terceiro lugar na Power Stage, e não cabia em si de contente com o seu terceiro triunfo em termos mundiais: “Estou muito contente e foi um fim-de-semana muito bom. Dedico esta vitória à equipa que me deu um carro perfeito. Estou melhor no campeonato, mas há um longo caminho a percorrer.”
Sebastien Loeb não quis terminar este Vodafone/Rali de Portugal sem uma vitória e conseguiu-o na derradeira especial, a «Power Stage» que dá três pontos extra para os três primeiros classificados. Loeb atacou forte e conseguiu-o por apenas 1,7s ao fim de 31 quilómetros:
 “Quando vi a chuva pensei que podia atacar e foi isso que fiz. Sabia que valia a pena até porque a «Power Stage» dá três pontos importantes”.O piloto francês ao volante do Citroen DS3 WRC garantiu assim o lugar intermédio do pódio, ficando a 31.8s do líder.
Jari-Matti Latvala terminou no ultimo degrau do pódio a 3:22.1s de Ogier, e também apostou nesta última classificativa e isso valeu-lhe ser o segundo mais rápido na Power Stage, recolhendo assim mais dois pontos a somar aos do terceiro lugar da geral: “Tentei tudo por tudo para vencer, mas não foi possível, pois o Sebastien Loeb esteve muito forte. Saio satisfeito pelo resultado final que é positivo”, o piloto acabou por ter uma ligeira recompensa, após um fim de semana muito azarado.
O quarto classificado foi Mikko Hirvonen na Power Stage fechou o lote dos cinco primeiros classificados, mas o piloto finlandês voltou a não ter sorte: “Estou contente com o quarto lugar, mas foi pena o que sucedeu, pois eu tentei. A suspensão traseira cedeu a cinco quilómetros do final e pouco mais podia fazer. É importante marcar pontos e estamos na luta.”. Mikko terminou a 6:16.3s de Ogier.
Matthew Wilson conquistou um brilhante quinto lugar final, o filho do chefe de equipa da Ford conseguiu um excelente resultado final, fruto de um andamento muito consistente e dos poucos azares que foi tendo durante o rali, ficando a 7:48.5s de Ogier. o piloto da M-Sport Stobart Ford World Rally Team conseguiu assim ficar na frente do seu colega de equipa Henning Solberg.
Petter Solberg com um andamento fantástico conseguiu subir na classificação geral e acabou este Rally de Portugal no sexto lugar final. Petter bem tentou vencer a Power Stage, não conseguindo ficando a 15.5s de Loeb, mas conseguiu subir um lugar na geral. No final da Power Stage o piloto afirmou estar contente com o resultado: “Estou muito contente e só foi pena o primeiro dia. No entanto a vontade de recuperar era muito grande e eu nunca desisto. Tudo correu bem e, desta vez, não tive furos”. O piloto da equipa com o seu nome, a Petter Solberg WRT, levou o seu Citroen DS3 WRC até ao fim do Rally de Portugal, terminando a 10:17.4s do líder.
No sétimo lugar da classificação geral aparece o piloto da Ice One Racing, Kimi Raikkonen que perdeu uma posição na última classificativa do rali para Petter Solberg. O finlandês em Citroen DS3 WRC ficou a 10:54.1s do vencedor.
O argentino Federico Villagra com o seu Ford Fiesta RS WRC da Munchi's Ford World Rally Team manteve a posição do dia anterior, e terminou o rali a 11:38.8s de Ogier.
O nono lugar da classificação geral ficou para, Henning Solberg, da M-Sport Stobart Ford World Rally Team que perdeu três posições em relação ao dia de ontem, terminando a 14:16.4s do grande vencedor.
Kuipers tripulando o Ford Fiesta RS WRC da Ferm Powertools World Rally Team, fecha o top ten, tendo mantido a posição de ontem e terminou a 17:54.6s de Ogier na classificação geral.

Depois dos problemas da parte matinal do ultimo dia resolvidos, Hayden Paddon confirmou o triunfo em termos de concorrentes ao Campeonato do Mundo de Produção, tendo sido ainda decimo primeiro na geral a mais de vinte e dois minutos de Ogier.
Bruno Magalhães terminou esta prova com a satisfação do dever cumprido, pois foi o melhor português e o melhor entre os carros S2000. O piloto português foi ainda decimo segundo na geral, e no final falou do resultado: “O resultado é muito importante para nós depois do azar no Rali de Monte Carlo. A prova começou mal mas acabou bem e agradeço à minha equipa o trabalho efectuado”. O piloto lisboeta, navegado por Paulo Grave ao volante do Peugeot 207 S2000 da Peugeot Sport Portugal, ficou a 24:02.0s do vencedor.

O campeonato do Mundo de Ralis segue agora para o Rali da Jordania com Loeb e Mikko igualados na liderança com 58 pontos.

1 comentário:

  1. Muito Bom. Já estou com saudades!
    A vida é feita de momentos unicos, que não se podem perder! E este e um deles.

    ResponderEliminar