Este espaço é para si! Envie-nos a sua notícia: mscmail.fotorali@gmail.com

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Retrospectiva 2012: Rali de Portugal

Depois do estrondoso sucesso que foi o WRC Fafe Rally Sprint, a caravana do Mundial rumou ao Algarve para a disputa da edição 2012 do Rali de Portugal.
A edição deste ano apresentava algumas novidades no esquema da prova com a introdução de troços nocturnos, o regresso aos troços de Tavira e uma nova "Power Stage".
A prova abria com a realização da Super Especial de Lisboa e Petter Solberg era o piloto mais rápido partindo para os 3 troços nocturnos na liderança do rali.





Com uma passagem prevista nas classificativas de Gomes Aires, Santa Clara e Ourique na noite do primeiro dia, as surpresas começavam com a desistência de Sebastien Loeb devido a uma saída de estrada. As dificuldades dos pilotos eram imensas, primeiro com o pó e mais tarde com o aparecimento da chuva, deixando os pisos extremamente escorregadios.
Com Loeb impedido de continuar em "Rally 2", o segundo dia do rali iria-se revelar caótico devido ao temporal que se abateu sobre a região de Tavira.





Com as dificeis condições de chuva, lama e muito nevoeiro, os pilotos optavam por um ritmo mais cauteloso mas nem isso impedia que os azares surgissem. Jari-Matti Latvala, Petter Solberg, Ott Tanak, Craig Breen, entre outros, não evitaram saídas de estrada hipotecando desde logo qualquer aspiração a um bom resultado na prova. Quem se isolava no comando era Mikko Hirvonen, com uma condução cautelosa e isenta de erros, bem como de uma escolha acertada de pneus. Atrás de Hirvonen vinham Evgeny Novikov e Mads Ostberg.
Com o estado dos troços e com as condições climatéricas adversas, a organização optou por anular as segundas passagens pelas 3 classificativas que compunham o programa deste segundo dia de prova.





Para o terceiro dia, e depois do descalabro que havia sido a etapa anterior, pouco restava fazer aos concorrentes cimeiros além de cumprir calendário em busca de preciosos pontos. Mikko Hirvonen, isolado na liderança, não cometia erros, e com as escolhas de pneus mais acertadas consolidava a sua vantagem. As duplas passagens por Almodôvar, Vascão e Loulé não trouxe novidades na classificação geral e apenas se destacava o regresso dos pilotos da Ford com a missão de subirem lugares em busca de pontos. Petter Solber acabaria por ser o piloto mais rápido do dia enquanto Latvala via os seus esforços esfumarem-se devido a problemas mecanicos que o voltavam a atrasar. Azarados também estiveram os pilotos da Prodrive. Patrick Sandel não evitou um embate numa árvore enquanto Dani Sordo partia o escape do Mini o que provocou que o habitáculo fosse invadido pelos gases do carro obrigando o piloto espanhol a uma paragem forçada.





Para o ultimo dia, previa-se uma toada calma apenas para segurar posições. No entanto a chuva voltou a baralhar as contas dos pilotos. Mads Ostberg alcançava o segundo lugar por troca com Evgeny Novikov, mas este pilotos ainda iriam passar por um calafrio com problemas mecânicos que quase hipotecavam os resultados dos pilotos.
Dani Sordo vencia a Power Stage, Solberg segurava o 4º lugar enquanto Latvala quedava-se num modesto 14º posto fruto dos problemas sentidos no dia anterior. Desta forma Hirvonen subia ao degrau mais alto do pódio, seguido por Ostbeg e Novikov. Porém, já depois de terminado o rali, eram detectadas irregularidades ao nivel do turbo do Citroen de Hirvonen e o colégio de comissários desclassificou o finlandês, tendo Mads Ostberg sido declarado vencedor do Vodafone Rali de Portugal 2012.






Sem comentários:

Enviar um comentário