Este espaço é para si! Envie-nos a sua notícia: mscmail.fotorali@gmail.com

domingo, 1 de maio de 2011

Vitor Lopes vence Rali Serras de Fafe

Vitor Lopes/Hugo Magalhães
Foi surpreendente mas inteiramente merecida e esclarecedora a vitória de Vitor Lopes / Hugo Magalhães no Rali Serras de Fafe. Depois do domínio total no primeiro dia, o segundo dia, mesmo sendo de alguma contenção (e com muita chuva), revelou um Vitor Lopes rápido, consistente e, a continuar assim, candidato ao título de 2011.
Foi a primeira vitória à geral de Vitor Lopes e do seu navegador, começando a ARC a habituar-se a este lugar, tendo agora dois pilotos, Moura e Lopes, dentro da mesma equipa a lutarem pelo título, com ambos na liderança do CPR com 35 pontos cada.
Vitor Pascoal/Luis Ramalho
Se ainda houve uma tentativa de Pedro Peres de lutar pelo segundo lugar com Vitor Pascoal, rapidamente tudo regressou à normalidade, com ambos os pilotos a decidirem recolher pontos muito preciosos no CPR, ficando o piloto de Amarante num sólido segundo lugar (ainda não é desta a vitória no CPR) na frente de Pedro Peres.
Pedro Peres/Tiago Ferreira
Numa prova solitária e mais calma no segundo dia, João Silva provou que também já é competitivo no terra. O piloto, e o seu experiente navegador José Janela, geriram a corrida e obtiveram uma vitória sem contestação no CPR2 nesta prova.
João Silva/José Janela
O quarto lugar foi ainda um prémio para Silva, depois de Pedro Meireles ter desistido com problemas num braço de suspensão do Lancer, depois de um toque numa pedra logo no início do segundo dia.
Na luta pelo quinto lugar, Carlos Oliveira acabou por levar a melhor. Sem cometer erros e sempre com um ritmo calmo, o piloto da Subaru acabou por beneficiar do enorme atraso de Eduardo Veiga (teve uma saída de estrada) e assim viu esforçar-me um lugar no Top5, que durante grande parte do rali parecia que já tinha conquistado.
Numa prova em que lutou com muitos problema de tracção no Citroen DS3, Ivo Nogueira salvou mesmo assim o resultado, tendo ganho entre os concorrentes do Citroen Racing Trophy.
Paulo Antunes teve um rali para esquecer, em que a única boa recordação foi ter terminado. O seu Citroen C2 R2 Max nunca esteve em condições (motor, cabo de acelerador, etc), não conseguindo evitar perder alguns lugares. Mesmo assim o 7º lugar é um mal menor.
Frederico Gomes ainda espreitou no segundo dia um melhor resultado. Contudo o piloto de Cascais teve também uma prova quase para esquecer, falhando totalmente nas afinações do C2 no primeiro dia e tendo algumas dificuldades na derradeira fase da prova. O 8ª lugar da geral é um prémio de consolação depois de um rali em que pouca coisa funcionou a 100%.
Julio Bastos/Anibal Pereira
Entre os concorrentes da Taça de Portugal, o vencedor foi encontrado por eliminação... ou melhor, por resistência. Um rali é também uma prova de resistência e ao longo da prova todos os principais candidatos aos primeiros lugares foram desistindo ou atrasando-se. Ricardo Teodósio, Luís Mota, Daniel Nunes, Pedro Leone, Daniel Ribeiro, entre outros, foram alguns dos pilotos que andaram pelos primeiros lugares, mas foi Júlio Bastos (o tal que anunciou que não iria estar presente na prova) a vencer, subindo ao primeiro lugar precisamente no derradeiro troço, juntando esta vitória á obtida no Regional Nordeste.
*fonte Ralis Online



Sem comentários:

Enviar um comentário